logo RCN

Delegado da Polícia Civil de Pomerode alerta para alto número de estelionatos na cidade

Delegado da Polícia Civil de Pomerode alerta para alto número de estelionatos na cidade
  • Foto: Marta Rocha/Testo Notícias - Polícia Civil de Pomerode registrou mais de 600 casos de estelionato em 2023.

Jhon Endy Lamb repassou dicas de como evitar cair em golpes virtuais

Desde outubro de 2023, a Polícia Civil de Pomerode conta com um novo delegado. Após assumir a delegacia e analisar as ocorrências durante o último ano, Jhon Endy Lamb se deparou com um alto número de registros de estelionatos.

Diante disso, o Testo Notícias conversou com o delegado para falar sobre os golpes, como se prevenir do crime e o que fazer caso seja uma vítima. Confira abaixo a entrevista.

Quantos casos de estelionato Pomerode registrou no último ano?

Através do banco de dados fornecidos pela Polícia Civil, tivemos a identificação de que, em 2023, Pomerode teve aproximadamente 2.800 ocorrências registradas. Deste número, cerca de 1.800 são de fato ocorrências criminosas. Destes 1.800, mais de 600 casos se referem ao crime de estelionato. Ou seja, aproximadamente 1/3 de todas as ocorrências do nosso município se referem a crimes de estelionatos, em sua maioria de golpes virtuais. Hoje, o estelionato é o crime que mais ocorre em Pomerode.


De forma predominante, temos basicamente a utilização de meios virtuais. São golpes que ocorrem através de meios de comunicação, como redes sociais, telefones e bancos virtuais. As modalidades em que o crime ocorre são das mais diversas possíveis. Dentro desse aspecto, a Polícia Civil tem como objetivo conscientizar a população sobre a principal forma que esses crimes ocorrem para que as pessoas se previnam e acabem não caindo nesses golpes.

Qual é o perfil das vítimas?
Nós temos variados perfis. Quando fizemos a análise da faixa etária das vítimas que acabam registrando estelionatos, é possível perceber em sua maioria um público jovem- adulto, ou seja, de 25 a 40 anos. Essa é a maior faixa etária considerada como vítima nos crimes virtuais. Já deixou de se ter um aspecto em que os idosos eram o maior número de vítimas e, hoje, o público-alvo é o jovem-adulto.

Como se prevenir desse tipo de crime?
Dependendo da conduta praticada, são vários os mecanismos que podem ser feitos. Primeira coisa, sempre desconfie. Desconfie de ligações que você não tenha o número cadastrado, de mensagens, de SMS’s, desconfie de situações inusitadas que não foi a própria pessoa que procurou. Temos vários casos em que pessoas entram em contato com as vítimas, alegando ser um profissional de determinada empresa e procurando ter acesso a dados pessoais e, muitas vezes, solicitando links de confirmações, numeração de cadastro para que possam invadir as contas de redes sociais, ou até mesmo de linhas telefônicas, com o objetivo de praticar os golpes.

Temos também as compras virtuais que contam com cadastros falsos, sites falsos, vendas fraudulentas em que muitas vezes a pessoa é induzida a fazer a aquisição do bem de forma imediata e impensada. 

Quando você perceber um link de anúncio patrocinado, um produto que o valor seja desproporcional ao valor do mercado ou um link que você perceba que a oferta seja por tempo limitado, por exemplo, tenha cuidado. Na maioria das vezes, isso se trata de um golpe. Se você se interessou por um produto, não acesse pelo link. Veja qual a loja oficial está vendendo e acesse pelo canal oficial. Antes de efetuar uma compra, pense bem, analise com cuidado, porque depois que você efetuar a compra, você percebe detalhes, como por exemplo que o site é falso, mas aí já é tarde.

Caso a pessoa caia em um golpe, qual procedimento fazer?

Sendo constatado o golpe, o primeiro passo é fazer o boletim de ocorrência. Hoje, a Polícia Civil oferece o serviço de Delegacia Virtual, então todos os registros podem ser feitos através da Delegacia Virtual, não sendo necessário a pessoa se deslocar até a delegacia. Além disso, entre em contato com a instituição bancária, essa é uma providencia fundamental para tentar bloquear os valores de uma transferência ou pagamento.

Muitas vezes, se você deixa para fazer no dia seguinte, a própria instituição não consegue mais fazer o bloqueio ou rastreamento desse valor. O processo de investigação desses crimes virtuais é complexo, porque depende de quebra de sigilos, do fornecimento de informações e tudo isso leva muito tempo.

Quais são os tipos de golpes virtuais mais registrados?
1 – Golpe do produto ou loja falsa: Depois de criar um perfil na rede social de uma loja que não existe, os criminosos anunciam um produto, recebem o Pix, mas não entregam a mercadoria ou enviam outra diferente.
2 – Golpe da compra de loja com rede social hackeada: A conta usada é de um estabelecimento que, de fato, existe. Mas os criminosos clonam ou fazem o hackeamento do perfil na rede social.
3 – Golpe do Whatsapp – parente pedindo dinheiro: Um dos mais comuns, consiste em clonar o WhatsApp de uma pessoa e pedir dinheiro a um parente dela ao simular uma história urgente ou dramática.
4 – Golpe da oportunidade de investimento ou para multiplicar dinheiro: Após prometer retornos financeiros irreais, o golpista pede transferências via Pix, mas nunca distribui os ganhos do suposto investimento.
5 – Golpe da central de atendimento de banco: O criminoso liga fingindo ser um atendente de banco, fala alguns dados da vítima, conversa de forma muito técnica e, ao ganhar confiança da pessoa, começa a pedir para confirmar algumas informações. Nisso, a vítima passa alguns dados que são essenciais para subtrair o dinheiro. Em alguns casos, o criminoso fala para a pessoa baixar um aplicativo ou clicar em um link visando acessar o aplicativo do banco.
6- Golpe do comprovante falso: Nesse caso, a vítima é quem deveria receber o Pix. O golpista compra algo, mas envia um comprovante falsificado ao vendedor. Enganado, o vendedor envia o produto.
7- Golpe do falso emprego: Criminosos entram em contato via WhatsApp e oferecem a oportunidade de renda extra em troca de supostas vendas de produtos ou trabalhos virtuais.
8 – Golpe das curtidas – avaliação de vídeos: Criminosos atraem as vítimas prometendo ganhos com curtidas ou avaliações de vídeos na internet. Para isso, eles dizem ser necessário um pagamento antecipado com a promessa de retorno superior.
9 – Golpe do falso policial: Na conversa, o suposto agente da polícia diz que a vítima é investigada, mostra fotos de documentos falsos e até vídeos. Tudo não passa de um golpe.
10 – Golpe do falso empréstimo: Criminosos entram em contato por mensagem fingindo ser representantes de financeiras. Eles oferecem empréstimos a juros baixos e sem burocracia, mas pedem dinheiro da vítima para o pagamento de falsas taxas bancárias e tributos.
11 – Golpe do falso sequestro: O golpista liga ou manda uma mensagem para a vítima e finge que um parente foi sequestrado. Pede um valor em dinheiro para liberar a pessoa e põe no telefone alguém chorando, gritando. Tudo isso para deixar a vítima desestabilizada ao ponto de fazer o depósito.
12 – Golpe do falso boleto: Os criminosos descobrem informações sobre as pessoas e enviam falsos boletos por e-mail. A vítima acredita que está pagando um boleto verdadeiro, mas no código de barras constam informações que direcionam o valor para a conta dos criminosos.

Confira abaixo alguns dados quanto aos golpes de estelionato registrados em Pomerode durante 2023:

Policial feminina de Indaial é homenageada Anterior

Policial feminina de Indaial é homenageada

Residência é furtada em Timbó Próximo

Residência é furtada em Timbó

Deixe seu comentário