17.5 C
Timbó
terça-feira, 16 de julho de 2024

Exportações catarinenses caem 21,5% nos primeiros meses de 2009

Data:

Exportações catarinenses caem 21,5% nos primeiros meses de 2009
Santa Catarina registrou queda de 21,5% nas exportações de produtos industrializados no primeiro q …

Geraldino José Ochner

FLORIANÓPOLIS – Santa Catarina registrou queda de 21,5% nas exportações de produtos industrializados no primeiro quadrimestre do ano. No mesmo período do ano passado, o setor teve crescimento de 16%. A queda nas vendas é atribuída à crise mundial que, segundo a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), impôs uma uma maior redução no consumo de produtos manufaturados e semimanufaturados em relação às commodities.
Para o primeiro vice-presidente da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Glauco José Côrte, embora no primeiro quadrimestre a queda já seja expressiva, de 21,5%, deve haver recuperação a partir do segundo semestre. “Será um ano difícil, mas a expectativa é de uma queda de 10% no final do ano. Não trabalho com uma queda maior face os destinos diversificados das exportações catarinenses e à qualidade de seus produtos. Entretanto, o dólar é um fator muito importante. Se continuar caindo como está, pode modificar este quadro de projeção”, avalia.

Cerâmicas e têxteis sofrem forte impacto
A indústria cerâmica já registra queda nas exportações desde 2008, segundo o presidente do Sindicato das Indústrias Cerâmicas da Região Sul (Sindiceram), Otmar Müller. A redução nas vendas foi verificada principalmente para os Estados Unidos, que enfrenta problemas no setor da construção civil.
 “Os EUA eram destino de 70% das exportações de cerâmicas. Tivemos que combater a recessão com ampliação do mercado interno, que cresceu 12%. Mesmo assim, a produção caiu 11% no primeiro trimestre deste ano em relação a 2008”,  diz.
As exportações de revestimentos cerâmicos caíram 34% no primeiro trimestre de 2009 em relação a igual período do ano passado, enquanto as vendas do mercado interno aumentaram 6%.
“Mas nossa queda vem desde o ano passado. Em 2008, foram 19,3 milhões de metros quadrados exportados, contra 24 milhões de metros quadrados em 2007, ou seja, retração de 20%”, destaca Müller. O presidente do Sindicato das Indústrias Têxteis de Blumenau e Região (Sintex), Ulrich Kuhn, ressalta que a retração nas vendas externas de manufaturados deve chegar a 40% este ano, projeção pior do que a feita pela Fiesp.
 “No setor têxtil geral, que inclui matéria-prima, o recuo não será tão acentuado, mas sim nos manufaturados. O setor têxtil geral teve queda de 10% no primeiro trimestre e retração de 25% nos manufaturados. E eu não vejo recuperação no curto prazo. Antes ainda existia um câmbio justo, agora há desvalorização do dólar”, conclui.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui