17.2 C
Timbó
segunda-feira, 22 de abril de 2024

Exportações catarinenses registram alta de 18,2% até outubro

Data:

Exportações catarinenses registram alta de 18,2% até outubro
Segundo dados divulgados pela Federação das Indústrias (Fiesc) …

Thomas Erbacher

FLORIANÓPOLIS – As exportações catarinenses cresceram 18,17% entre janeiro e outubro, na comparação com o mesmo período de 2007. Segundo dados divulgados pela Federação das Indústrias (Fiesc), os embarques do Estado alcançaram US$ 7,21 bilhões nos dez primeiros meses deste ano. Somente em outubro, as vendas externas foram de US$ 747,6 milhões, uma alta de 3,87% sobre o mesmo mês de 2007, porém com redução de 2,95% em relação a setembro.

No acumulado do ano, as carnes e miudezas de frango tiveram o maior crescimento entre os dez grupos de produtos mais exportados por Santa Catarina, de 49,07%, e aumentaram a liderança na pauta catarinense, com US$ 1,52 bilhão. Na seqüência ficaram o fumo (US$ 611,2 milhões), motores e geradores elétricos (US$ 441,2 milhões), motocompressores herméticos (US$ 369,4 milhões), carnes suínas (US$ 360,1 milhões) e produtos industrializados de frango (US$ 249,5 milhões).

- Publicidade -

Entre os produtos mais exportados pelo Estado de Santa Catarina, sofreram redução este ano os móveis (queda de 9,73%, para US$ 230,9 milhões), grãos de soja (menos 39%, para US$ 181,6 milhões) e produtos cerâmicos (redução de 3,63%, para US$ 151,7 milhões).

Em função do crescimento de 105,44% das vendas de pedaços e miudezas congelados de frango, o Japão pulou do quinto para o segundo lugar entre os destinos dos produtos catarinenses de janeiro a outubro. O total dos embarques para os japoneses cresceu 81%, para US$ 484,9 milhões, sendo que as miudezas de frango somaram US$ 438,9 milhões (90,5% do total).

O maior comprador do Estado continua sendo os Estados Unidos, com US$ 979,4 milhões, apesar da redução de 9,16%. Atrás do Japão ficaram a Argentina (US$ 474,6 milhões), a Holanda (US$ 474 milhões) e a Alemanha (US$ 324,8 milhões).

As importações mantiveram o forte incremento nos dez primeiros meses do ano. A alta foi de 70,82%, com as compras alcançando os US$ 6,84 bilhões. Na pauta, lideraram insumos e peças para a indústria, como catodos de cobre refinado (US$ 813,7 milhões), fios de fibra de poliéster e artificiais (US$ 170,3 milhões), pneus novos (US$ 160,4 milhões), polietilenos (US$ 153,4 milhões) e polímeros de etileno (US$ 146,2 milhões). Os maiores fornecedores do estado foram a China (US$ 1,3 bilhão), o Chile (US$ 867,6 milhões), a Argentina (US$ 789,2 milhões), os Estados Unidos (US$ 575,4 milhões) e a Alemanha (US$ 304,9 milhões).

Pelo terceiro mês consecutivo, a balança comercial catarinense registrou déficit. No mês de outubro, o resultado foi negativo em US$ 9,6 milhões. No acumulado do ano, porém, saldo entre exportações e importações continua positivo em US$ 363,4 milhões, uma redução de 82,63% sobre o mesmo período de 2007.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui