30.6 C
Timbó
quarta-feira, 24 de abril de 2024

Exportações catarinenses têm alta de 21,4% de janeiro a julho.

Data:

Exportações catarinenses têm alta de 21,4% de janeiro a julho.
VENDAS EXTERNAS – Suínos consolidam recuperação catarinense após dois anos de baixa, com crescim …

Thomas Erbacher

FLORIANÓPOLIS – Entre os dez grupos de produtos mais exportados por Santa Catarina entre janeiro e julho deste ano, o que apresentou maior crescimento em relação ao mesmo período de 2007 foram as carnes, carcaças e miudezas de suínos. A alta foi de 54,6%, com US$ 242,4 milhões acumulados nos sete primeiros meses deste ano. Esse foi o maior valor exportado de suínos no período desde 2005, quando as vendas externas chegaram a US$ 291,9 milhões. No total, as exportações catarinenses somaram US$ 4,9 bilhões até julho, com um incremento de 21,4%.

Em 2006, os embarques de suínos caíram para US$ 150,5 milhões na soma de janeiro a julho, uma queda de 48,4% sobre o mesmo período de 2005. A redução foi causada principalmente pelo embargo da Rússia às carnes catarinenses. Até o ano anterior, a Rússia comprava mais de 60% das exportações do Estado. Em 2007, os embarques de suínos se mantiveram praticamente estáveis. Nos sete primeiros meses deste ano, a diversificação dos mercados externos permitiu que as agroindústrias catarinenses consolidassem as exportações do setor.

- Publicidade -

O maior cliente internacional das vendas catarinenses de suínos este ano foi Ucrânia, com US$ 62,3 milhões e alta de 50,7%. Na seqüência, ficaram Hong Kong, com embarques de US$ 43,8 milhões e aumento de 142,5%, a Argentina, com US$ 24,9 milhões e alta de 27,5%, e a Rússia, que vem retomando as compras e acumulou US$ 23,9 milhões até julho, uma alta de 79% sobre o mesmo período de 2007.

As carnes e miudezas de frango tiveram de janeiro a julho uma alta um pouco menor que os suínos, de 53%, e continuam liderando a pauta de exportações catarinenses, com US$ 989,1 milhões. Depois, vieram as vendas externas de fumo (US$ 414,3 milhões), de motores e geradores elétricos (US$ 267,4 milhões), motocompressores herméticos (US$ 255,4 milhões) e suínos.

Apesar da queda de 8,3% acumulada no ano, os Estados Unidos se mantém como os maiores clientes das empresas catarinenses, com vendas de US$ 684,5 milhões. Na seqüência ficaram a Holanda (US$ 337,9 milhões), a Argentina (US$ 326,2 milhões), o Japão (US$ 288,8 milhões) e a Alemanha (US$ 233,8 milhões).

Importações

As importações mantiveram a trajetória de alta verificada deste o início do ano. Os US$ 4,5 bilhões acumulados até julho representam um crescimento de 72,2% sobre os sete primeiros meses de 2007. Os produtos mais comprados pelo Estado este ano foram insumos industriais como catodos de cobre (US$ 576,1 milhões), fios de fibras de poliéster e artificiais (US$ 122,1 milhões), pneus novos para veículos (US$ 102,3 milhões) e polietilenos sem carga e linear (US$ 102,1 milhões). Com a forte alta nas compras, o saldo da balança comercial catarinense vem se deteriorando. A queda já é de 70,3%, de US$ 1,44 bilhão de janeiro a julho de 2007 para US$ 427 milhões no mesmo período deste ano.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui