22 C
Timbó
sábado, 20 de julho de 2024

Inflação é negativa em abril, mas custo de vida sobe 4,87% em Blumenau

Data:

Inflação é negativa em abril, mas custo de vida sobe 4,87% em Blumenau
AUMENTO: Cesta básica subiu 2,20% na região e hoje já representa o consumo de 45,21% no valor rea …

Cleiton Baumann

BLUMENAU – Os preços que determinam o custo de vida em Blumenau tiveram variação abaixo de zero no mês de abril, conforme já era esperado pelo Instituto de Pesquisas Sociais, IPS da Furb, que mensalmente calcula o IVGP, Índice de Variação Geral de Preços no município. O índice de -0,12% é resultado do comportamento de preços de 580 itens pesquisados, organizados em 25 subgrupos. A maior baixa em abril foi verificada no item “combustíveis/óleo/pneu”, com variação de -5,93% enquanto que a variação mais alta foi no “fumo”: +12,82%.
Com os atuais índices, a variação acumulada em 12 meses no município de Blumenau situou-se em +4, 87%. A variação de preços da Cesta Básica foi na ordem de +2,20%, levando o custo total da cesta para R$ 210,23. O IVGP de 1º a 30 de abril ficou dentro do intervalo esperado, visto que a expectativa era uma variação entre -0,3% e +0,2%. A expectativa para o próximo mês é de que a variação de preços se mantenha dentro do intervalo -0,3% a +0,2%.
Os 580 itens pesquisados estão organizados em 25 subgrupos e as variações apresentaram a seguinte distribuição: oito subgrupos registraram alta, nove permaneceram estáveis e oito subgrupos variaram negativamente. Segundo o professor e economista do IPS, professor Pedro Paulo Wilhelm, se essa tendência de queda persistir, a inflação acumulada nos 12 meses deverá baixar significativamente e se situar entre +3,6% e +4,0%, enquanto a inflação acumulada nos seis meses deverá se situar entre +0,6% e +1,0%, indicando probabilidade de um cenário otimista.

Custo da cesta
básica subiu 2,20% 
Com uma variação positiva 2,20%, o custo atual da Cesta Básica em Blumenau é de R$ 210,23. O índice de preços da cesta acumulado nos últimos 12 meses é de +13,81%. “Se for considerado o aumento do salário mínimo em fevereiro desse ano (R$465,00) comparado com o mesmo período do ano anterior, pode-se afirmar que a relação entre o custo da Cesta e o Salário Mínimo piorou um pouco”, analisa Wilhelm.  No ano passado a Cesta representava 44,51% do salário. Hoje ela consome 45,21%.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui