13.7 C
Timbó
terça-feira, 25 de junho de 2024

Preços dos alimentos caem e inflação recua nas últimas semanas.

Data:

Preços dos alimentos caem e inflação recua nas últimas semanas.
A queda de preços de produtos alimentícios fez com que a inflação medida pelo Índice de Preços …

Thomas Erbacher

SÃO PAULO (Correio do Brasil) – A queda de preços de produtos alimentícios fez com que a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPCS) ficasse em 0,69% em julho, conforme informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A taxa é a menor desde a primeira semana de abril deste ano (0,64%) e mostra que houve queda de 0,10 ponto percentual em relação ao mês anterior. Puxaram a inflação para baixo a queda de preço de 16 dos 21 produtos pesquisados, entre eles, destacam-se arroz e feijão, que saíram de alta de 10,64% para 7,67%, e as carnes bovinas, de 7,94% para 6,99%. Tiveram aumento os custos nos grupos Habitação (de 0,30% para 0,36%) e Transportes (de 0,11% para 0,17%).

- Publicidade -

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) registrou alta de 2% em julho, na comparação com junho. O dado também consta da pesquisa divulgada FGV e é utilizado para reajustes de aluguel.

Entre os três indicadores que compõem o IGP-10, o Índice de Preços por Atacado (IPA) teve alta de 2,54% em julho, contra 2,21% no mês anterior. Apesar da alta, os preços de alimentos in natura caíram.

Três dos cinco subgrupos do IPA na categoria bens intermediários tiveram alta, com destaque para os preços de materiais e componentes para manufatura, que passaram de 1,20$ para 2,20%; e combustíveis e lubrificantes (de 2,02% para 2,5%).O Índice de Preços aos Consumidor (IPC) ficou em 0,65% em julho, um crescimento abaixo do mês anterior. A variação dos preços de alimentos foi destaque, com alta de 1,56% em julho, contra 2,4 em junho.

Também registrou crescimento menor em julho o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC): 1,5%, contra 2,66% no mês anterior. A principal contribuição veio do grupo materiais, que recuou de 1,83% para 1,61%.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui