17 C
Timbó
domingo, 21 de abril de 2024

Preços gerais têm alta de 0,78% no mês.

Data:

Preços gerais têm alta de 0,78% no mês.
O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10), divulgado ontem (16) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). …

Thomas Erbacher

RIO DE JANEIRO (Agência Brasil) – O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10), divulgado ontem (16) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou alta de 0,78% em outubro, invertendo a queda verificada no mês anterior de 0,42%. Entre os índices que compõem do IGP-10, o que mede a evolução dos preços por atacado (IPA) passou de ?0,75% em setembro para 0,98% em outubro. A taxa relativa aos bens finais, que havia ficado em ?0,12%, subiu para 0,10%, influenciada pela aceleração dos preços dos alimentos processados (de -0,28% para 0,91%).

Também sofreu aceleração na passagem de um mês para o outro o índice dos bens intermediários (de 0,81% para 1,21%) puxados pelos materiais e componentes para a manufatura (de 0,08% para 1,03%). Já a taxa das matérias-primas brutas, que havia ficado em -3,70% em setembro, passou para 1,63%, em outubro. Os destaques para essa aceleração foram a soja (de -7,75% para 2,49%), o tomate (de -47,37% para 12,76%) e a mandioca (de -5,71% para 29,46%).

- Publicidade -

O Índice de Preços ao Consumidor também sofreu elevação entre setembro e outubro, passando de ?0,03% para 0,10%, influenciado pelo comportamento dos preços de alimentação (de -1,06% para -0,44%), com destaque para hortaliças e legumes (de -10,03% para -4,71%), arroz e feijão (de -4,74% para -0,21%) e carnes bovinas (de -0,16% para 0,88%), e de vestuário (de -0,26% para 0,85%), refletindo o avanço dos preços de roupas (de -0,59% para 1,05%).

Em movimento contrário, apresentaram decréscimos em suas taxas de variação os grupos: despesas diversas (de 1,28% para 0,65%), habitação (de 0,45% para 0,38%), saúde e cuidados pessoais (0,38% para 0,22%), educação, leitura e recreação (0,31% para 0,08%) e transportes (0,21% para 0,11%). O resultado do último índice que forma o IGP-10, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), também ficou acima do apurado do mês anterior, passando de 0,94% para 1,00%.

De acordo com o levantamento da FGV, o movimento foi influenciado pelo avanço nos preços dos materiais (de 1,83% para 1,90%), e de mão-de-obra (de 0,18% para 0,23%). Apenas a taxa de serviços recuou na passagem de um mês para outro (de 0,51% para 0,40%). O IGP-10 registra a inflação de preços desde matérias primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais. Para o IGP-10 de outubro foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 de setembro e 10 de outubro.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui