18.7 C
Timbó
sexta-feira, 21 de junho de 2024

Projeção de inflação recua depois de 18 semanas de alta.

Data:

Projeção de inflação recua depois de 18 semanas de alta.
A projeção de analistas de mercado para a inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Co …

Thomas Erbacher

Projeção de inflação recua depois de 18 semanas de alta BRASÍLIA (Agência Brasil) – A projeção de analistas de mercado para a inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recuou depois de 18 semanas de aumentos consecutivos, mas continua acima do limite superior da meta para o ano. De acordo com o boletim Focus, publicação semanal do Banco Central elaborada com base em consultas a analistas de mercado sobre os principais indicadores da economia, a projeção para o IPCA ao final deste ano passou de 6,58% para 6,54%. Para 2009, foi mantida a estimativa de 5%. O centro da meta de inflação para este ano e para 2009 é de 4,5%, com margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Ou seja, o limite superior é de 6,5%. Os analistas de mercado também reduziram as projeções para os demais índices de inflação neste ano. A expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (IPC-Fipe), passou de 6,69% para 6,53%, em 2008.

No mercado atacadista, a expectativa dos analistas para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu de 12,18% para 12,13%. No caso do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a estimativa passou de 12,04% para 12%. A projeção para os preços administrados também caiu e passou de 3,81% para 3,80%. Para o próximo ano, os analistas estimam aumento de 5,09%, 0,05 ponto percentual a mais do que na semana passada (5,04%). Para 2009, a projeção para o IGP-DI passou de 5,37% para 5,40% e para o IGP-M permaneceu 5,50%. No caso do IPC-Fipe, a estimativa subiu de 4,55% para 4,61%.

- Publicidade -

Estimativa de juros para 2008

Os analistas também aumentaram a projeção para a taxa básica de juros, a Selic, de 14,25% para 14,50% ao final de 2008. Para 2009, foi mantida a estimativa de 14%. Para conter a inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) eleva a Selic. Neste ano, os juros básicos já aumentaram 1,75 ponto percentual e estão em 13% ao ano. Na última semana, o BC divulgou a ata da reunião do Copom, que espera que o impacto da elevação da Selic seja percebido ao final deste ano e em 2009.

Depois de 18 altas consecutivas da projeção para a inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recuou, passando de 6,58% para 6,54% ao final de 2008. Esse percentual ainda está ligeiramente acima do limite superior da meta de inflação para o ano de 6,5%. O centro da meta é de 4,5% com margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A projeção para a taxa de câmbio, ao final deste ano, também recuou e passou de R$1,63 para R$ 1,61. A estimativa para o superávit comercial subiu de US$ 22,78 bilhões para US$ 23 bilhões e para o déficit em transações correntes (todas as operações do Brasil com o exterior), de US$ 24 bilhões para US$ 24,9 bilhões. Para 2009, foi mantida a projeção de US$ 15 bilhões para o saldo da balança comercial e, para o déficit em conta corrente, a estimativa aumentou de US$ 31,50 bilhões para US$ 32,70 bilhões.

Quanto ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, a estimativa também não foi alterada para 2008 (4,80%) e 2009 (3,90%). A expectativa para o crescimento da produção industrial passou de 5,38% para 5,46%. Para 2009, no entanto, foi mantida a projeção de 4,50%.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui