16.6 C
Timbó
sábado, 25 de maio de 2024

“Onde está a graça de Deus”

Data:

“Onde está a graça de Deus”

Foto: CLARICE GRAUPE DARONCO/JMV

“Com as palavras de Hebreus 4.14-16 – Portanto, fiquemos firmes na fé que anunciamos, pois temos um grande Sacerdote poderosos, Jesus, o filho de Deus, o qual entrou na própria presença de Deus. O nosso Grande Sacerdote não é como aqueles que não são capazes de compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um Grande Sacerdote que foi tentado do mesmo modo que nós, mas não pecou. Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do trono divino, onde está a graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos graça sempre que precisarmos ajuda, iniciamos a meditação junto à Capela do Hospital e Maternidade Oase, no mês de fevereiro. Na Capela, com a presença de colaboradores do Hospital e integrantes da Oaset, cantamos, oramos e partilhamos a Palavra!”.

Com essas colocações a pastora da Paróquia Evangélica de Confissão Luterana em Timbó, Comunidade Cristo Bom Pastor e coordenadora espiritual da Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas de Timbó (Oaset), Paula Naegele, fala sobre a realização da segunda meditação do ano junto à Capela do Hospital e Maternidade Oase de Timbó.

- Publicidade -

Em entrevista a pastora destaca que “estes momentos de celebração, sempre são momentos importantes para os colaboradores/as bem como às pessoas que estão nos quartos e corredores”.

Sobre a palavra levada aos profissionais, pacientes e acompanhantes a pastora destaca que o objetivo foi o de ressaltar que a glória de Deus se manifesta no Cristo crucificado, da mesma forma a glória de Deus continua se manifestado em lugares em que nos negamos a vê-la. “Onde está o rosto glorioso de Deus? No rosto de quem passa fome; Onde está o rosto glorioso de Deus? No rosto de quem mora na rua; Onde está o rosto glorioso de Deus? No rosto de quem cata lixo para sobreviver; Onde está o rosto glorioso de Deus? No rosto de quem sofre a violência, por qualquer motivo que seja (raça, cor, gênero, etnia, religião etc.); O rosto de Deus está naquilo para o que fechamos os nossos olhos e corações! Por isso, passamos uma vida inteira procurando por Deus sem encontrá-lo quando, na verdade, ele vem ao nosso encontro gloriosamente todos os dias em diversas situações de dor e sofrimento”.

Paula observa que “Deus sabe o que sentimos e entende o clamor do seu povo. Pois ainda vivemos uma realidade muito diferente da qual Deus sonhou e pensou para a sua criação. Vivemos e observamos situações muito difíceis ao nosso redor, sejam as catástrofes naturais, terremotos, guerras, desavenças entre as pessoas. Se queremos ver a glória de Deus, precisamos aprender a olhar para os pequeninos que estão famintos, sem roupa, doentes, sentindo-se estrangeiros/ estranhos, sedentos, presos e mortos! (cf. Mateus 25.31-46). É neles que vemos a glória de Deus! Em sua cura! Na luta pela dignidade humana! Na construção de uma sociedade mais justa e digna para todas as pessoas! Para viver a glória do Reino de Deus, é preciso colocar mãos à obra! Mãos que levam alimento, mãos que levam água, mãos que levam remédios, mãos que levam roupas. Mas não apenas isso”.

Segundo a pastora “há gente carente de outras necessidades: de mãos que levem carinho, de mãos e de braços que levem um abraço; de mãos que levem alento; de mãos que levem consolo. Que possamos transformar o mundo em que vivemos, olhando para as nossas mãos que são as que podem acolher, fazer afeto. São essas mãos que Deus usa para transformar e demonstrar a sua graça entre nós!”.

A realização destes momentos de meditação, que iniciaram em 2022 sendo realizados uma vez por mês, vêm ao encontro do trabalho da Oaset, do Conselho Diretor e da direção do Hospital que estimulam o uso da Capela, que fica aberta ininterruptamente para a oração pessoal de pacientes, seus familiares e de todos os profissionais e colaboradores do Hospital.

Para a direção, momentos como estes de meditação e louvor fazem parte do trabalho de humanização que o Grupo de Trabalho em Humanização (GTH) vem desenvolvendo dentro da unidade hospitalar. “A humanização do ambiente hospitalar é um dos pilares da instituição. Sem falar que ouvir palavras de fé e do amor de Deus por nós renova a nossa esperança e nossa vontade de fazer o melhor sempre, a cada dia”.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui