23.3 C
Timbó
segunda-feira, 22 de abril de 2024

Brasil assume o comando das negociações na Rio+20

Data:

Brasil assume o comando das negociações na Rio+20
Quarta-feira, ministros e chefes de Estado deverão aprovar o documento final da Conferência …

Neila Daronco/JMV

RIO DE JANEIRO – A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, é realizada até o dia 22 de junho de 2012, na cidade do Rio de Janeiro. A Rio+20 é assim conhecida porque marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, no ano de 1992 (Rio-92) e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.


O objetivo da Conferência é a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável, por meio da avaliação do progresso e das lacunas na implementação das decisões adotadas pelas principais cúpulas sobre o assunto e do tratamento de temas novos e emergentes. Neste ano, a Conferência tem dois temas principais: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.
A Rio+20 é composta por três momentos. Nos primeiros dias, de 13 a 15 de junho, foi realizada a III Reunião do Comitê Preparatório, no qual se reuniram representantes governamentais para negociações dos documentos a serem adotados na Conferência. Até hoje, acontecem os Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável. E, de quarta a sexta-feira, ocorrerá o Segmento de Alto Nível da Conferência, para o qual é esperada a presença de diversos Chefes de Estado e de Governo dos países-membros das Nações Unidas.

- Publicidade -

DIVERGÊNCIAS NAS NEGOCIAÇÕES

Divergências entre países ricos e pobres, prevaleceram sobre vários temas – em especial, no que diz respeito aos chamados "meios de implementação", que tratam da transferência de recursos financeiros e tecnológicos para países em desenvolvimento, como forma de auxiliar na transição para um modelo de economia verde. Nas conversas que tem mantido com outros chefes de Estado, a presidente Dilma tem destacado que a crise internacional não pode atrapalhar o resultado do texto final da reunião.
O diretor do Departamento de Desenvolvimento Sustentável, Assuntos Econômicos e Sociais da Rio+20, Nikhil Seth, disse que se não houver consenso em torno do texto final do Comitê Preparatório, a Conferência será considerada um fracasso internacional. A declaração foi dada em entrevista coletiva concedida à imprensa. “É um processo político. Todos estão envolvidos em criar o futuro que queremos. Se, hipoteticamente, não se chegar a um acordo, isso será um fracasso coletivo, do sistema internacional”, disse Seth. Também em entrevista coletiva, o ministro do Meio Ambiente da Alemanha, Peter Altmeier, disse, nessa segunda-feira, que o texto que está sendo negociado traz avanços substanciais, mas que ainda há espaço para melhorá-lo. Segundo ele, o documento poderia ser ambicioso, por exemplo, no que se refere aos oceanos.
O Brasil assumiu o comando das negociações na Rio+20, prometendo pulso firme para garantir que todos os impasses diplomáticos sejam resolvidos antes do início da cúpula de alto nível, no dia 20, quando ministros e chefes de Estado deverão aprovar o documento final da conferência. Ontem a tarde, Figueiredo disse que as negociações sobre o documento final do encontro "estão avançando bem" e que os 193 países estão próximos de um acordo e disse estar certo de que o texto seria fechado na noite de ontem. “Estamos absolutamente convencidos de que o texto vai ser fechado esta noite”, disse. Para ele, há “um ânimo muito positivo no sentido de encontrar as fórmulas finais que permitam os resultados que todos nós queremos.”

 

 

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui