22.2 C
Timbó
quarta-feira, 29 de maio de 2024

Casa do Poeta: “Uma Varanda: Vinte histórias”

Data:

Casa do Poeta: “Uma Varanda: Vinte histórias”

Foto: FOTO/DAVI ZOCOLI(BANCO DE DADOS JSC)

“Os 20 anos da Casa do Poeta Lindolf Bell tem muita história para contar”. Para começar a relatar um pouco desta história, acontece no dia 21 de março, às 19h30min, no Grão Espaço Cultural o sarau intitulado: “Uma Varanda: Vinte histórias”.

Segundo informações das profissionais Joelma Dalpiaz, que trabalha junto à Casa do Poeta Lindolf Bell e Gilmara Goulart que é coordenadora do Viva Espaço Multicultural de Timbó (VEM) “esse é mais um evento que comemora os 20 da Casa do Poeta bem como o Dia Mundial da Poesia. Uma Varanda: Vinte histórias – apresenta poemas vividos na varanda do museu. São 20 anos que a poesia habita da forma mais livre que consiga existir neste espaço”.

- Publicidade -

As profissionais adiantam ainda que o evento contará com apresentações do projeto Uni Duni Tê – contadores de histórias, juntamente com o Grupo Vocal Mescla do VEM e com a participação especial de declamadores que já sentaram na varanda e celebraram a poesia neste espaço especial do poeta Lindolf Bell. “É com essa energia de partilha que a comunidade e os apaixonados por poesia estão sendo convidados a atentar para a luz que emanará nesta noite, abrir seus olhos e ouvidos e deixar adentrar as palavras que outrora já fizeram rir/chorar”, destaca Gilmara.

Importante observar que o sarau é uma realização da Casa do Poeta Lindolf Bell através da Fundação de Cultura e Turismo, em parceria com o VEM – Viva Espaço Multicultural de Timbó e tem entrada gratuita.

Ao falar da Casa do Poeta Lindolf Bell e dos 20 anos que ela completa não se pode deixar de destacar algo muito importante sobre Lindolf Bell, filho de Theodoro e Amália Bell, que nasceu na cidade de Timbó em 2 de novembro de 1938. Foi de seus pais que herdou a clareza dos poemas, os quais mesmo sendo produzidos na urbanidade, conservaram elementos da vida agrária. Os pais do poeta eram lavradores, porém, com um grande sentimento e conhecimento de mundo, o que definitivamente ficou enraizado em sua vida e obras. Ao ser líder do Movimento Catequese Poética, o qual permitiu a milhares de pessoas o acesso à poesia e à arte, Lindolf Bell foi reconhecido nacional e internacionalmente. Era um homem que abrigava o mundo no coração, que amava os girassóis, que via tudo como missão, encarando a palavra como uma dádiva e fazendo dela um instrumento de comunhão e solidariedade.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui