23.3 C
Timbó
segunda-feira, 22 de abril de 2024

Família Kroenke escapa da morte

Data:

Família Kroenke escapa da morte
Deslizamento de terra destruiu ranchos, matou animais e deixou uma família em pânico, em Benedito …

CLARICE DARONCO/JMV

Foto: Divulgação

BENEDITO NOVO – As fortes chuvas registradas nesta semana no Vale do Itajaí resultaram em sérios problemas para diversos municípios. A tristeza nos olhos de Geraldo Kroenke, 64 anos, mostra o tamanho da tragédia que voltou a atingir o município de Benedito Novo, em menos de dois anos e três meses, da última tragédia que mobilizou o Brasil inteiro, porque afetou diversos municípios de Santa Catarina e teve o registro de um número elevado de mortes. Na noite de segunda-feira, a propriedade de Kroenke, localizada em Rio Tigre, foi atingida por um deslizamento e os ranchos, maquinários agrícolas, animais  foram destruídos. Kroenke contou a redação do JMV TV que sobrou apenas uma vaca, um pintinho, a garagem e a casa que está em construção para ele, a mulher e uma filha morar.
Ao falar dos acontecimentos da noite, o senhor que sempre trabalhou na lavoura e dela tira o seu sustento, fica com os olhos marejados. “Eu e a mulher, Iraci, estávamos deitados quando ouvimos o barulho de pedras rolando e árvores se partindo. A filha estava olhando televisão pedi para ela desligar e assim que saímos para fora só deu tempo para fugir”, conta Kroenke ao afirmar que como eles estavam dormindo no rancho, em razão da casa estar em construção ele correu para retirar o carro da garagem.
“A minha sorte é que sempre deixo a chave na ignição do carro, pois se tinha que colocar no local para ligar não sei o que teria acontecido”, fala o morador, dando um profundo suspiro, ao lembrar que está vivo e não sabe porque, pois o carro estava dentro de um dos ranchos que foi para o chão. “Foi uma questão de segundos, pois com o susto você se atrapalha, mas consegui dar o ré e assim que andei uns dez metros ficou tudo escuro e minha mulher falou e agora, vamos embora?”, desabafa o morador ao mostrar para a reportagem da JMV TV como ficou o terreno dele depois do deslizamento.
Ele e a família estão morando em outra casa. Perderam dois cavalos, vinte frangos, nove marrecos e quatro ranchos com equipamentos e produtos para a lavoura, além dos maquinários como  trator, arado e a madeira que era para o assoalho da casa nova, tudo ficou soterrado, salvaram apenas uma vaca. Ele fala da importância em preservar a mata, “pois se não tivesse os paus grossos a barreira teria levado tudo embora, não deixando sobrar nada”.
A família buscou abrigo na casa de uma vizinha. Não dava para ir para outro lugar porque o pontilhão que liga a estrada com a rua principal foi destruído pela chuva de domingo. Na terça-feira, operários tentavam reconstruir a estrutura para levar máquinas ao local do deslizamento. Enquanto o serviço não ficava pronto, parentes, amigos e vizinhos ajudavam a retirar os entulhos espalhados pelo quintal.
Iraci, desolada, estava tentando limpar a garagem onde estão os pertences da família. O local não foi danificado, mas a lama invadiu o espaço. Ainda assustada, ela lamentava não ter coragem de morar na casa de alvenaria.
Questionado sobre o que irá fazer, Kroenke olha para o monte de entulhos e diz: “Tenho que agradecer a Deus que estamos vivos”.
De acordo com o prefeito, em exercício, e presidente da Defesa Civil de Benedito Novo, Harry Dallabrida, na terça-feira, dia 15 de fevereiro, ainda haviam comunidades isoladas porque pontilhões foram derrubados e barreiras impediam o acesso. A prefeitura, ao receber uma visita do técnico da Defesa Civil do Estado, optou por não decretar estado de calamidade pública, como afirmava no dia 14 de fevereiro. Dallabrida informa que o município está em situação de emergência, decretada há 15 dias.
O prefeito em exercício agradece as prefeituras de Doutor Pedrinho e Timbó que estão emprestando máquinas para que os trabalhos de retiradas de barreiras possam ser realizados.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui