18.3 C
Timbó
quinta-feira, 30 de maio de 2024

Saúde e Educação de Benedito Novo orientam e alertam sobre surto da síndrome Mão-Pé-Boca

Data:

Saúde e Educação de Benedito Novo orientam e alertam sobre surto da síndrome Mão-Pé-Boca

Foto: Foto: kipgodi/istock

A Prefeitura de Benedito Novo, por meio das secretarias de Educação e Saúde, confirmam o surto da síndrome Mão-Pé-Boca no município. De acordo com informações já foram notificados como surto em dois centros de Educação Infantil (CEIs) do município onde nos meses de fevereiro e março, mais de 20 crianças foram diagnosticas com a doença e afastadas para evitar a proliferação.

A síndrome Mão-Pé-Boca é uma infecção de origem viral, sendo causada por diversos enterovírus, principalmente o Coxsackie. Costuma acontecer na forma de surtos, acometendo principalmente crianças que frequentam centros de Educação Infantil e escolas, principalmente as menores de cinco anos, e nos meses de Primavera e Verão. A transmissão se dá pelo contato fecal-oral e também com secreções respiratórias, sendo o período de incubação usual de três a sete dias.

- Publicidade -

Sintomas: O quadro clássico é descrito como uma doença febril autolimitada, acompanhada de mal-estar, úlceras orais causando dor na boca ou garganta e um exantema vesicular em mãos e pés, sendo também comum em nádegas e região genital. A febre e o mal-estar iniciam-se antes, sendo normalmente baixa e que se resolve em 48 horas. As lesões dolorosas na cavidade oral aparecem depois de um a dois dias do início da febre e são normalmente encontradas em língua, palato e mucosa bucal.

Medidas de controle: O risco de transmissão para a doença Mão-Pé-Boca pode ser reduzido através das seguintes boas práticas de higiene:

*Lavagem frequente e correta das mãos, especialmente após a troca de fraldas e de usar o banheiro;

*Limpeza de superfícies e artigos incluindo brinquedos, primeiramente com água e sabão e então desinfetando com uma solução a base de alvejante com cloro/água sanitária (feita com uma colher de sopa do produto adicionada à quatro copos de água);

*Evitando contato próximo (beijar, abraçar, dividir talheres e copos) com pessoas com a doença Mão-Pé-Boca.

*Limitar a exposição das crianças doentes, mantendo as que apresentam sintomas afastadas da escola ou Centro de Educação Infantil.

 *Não há vacina disponível até o momento

Procedimento no surto: A Vigilância Epidemiológica e Sanitária Municipal está realizando orientações e desenvolvendo atividades de controle. Em suspeita da síndrome Mão-Pé-Boca levar a criança para atendimento na Unidade de Saúde para uma avaliação médica. Crianças sintomáticas e que não estão afastadas da escola a Vigilância está orientando as escolas a chamarem os pais ou responsáveis para buscarem as crianças e levarem para avaliação criteriosa por profissional médico.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui