21.2 C
Timbó
segunda-feira, 20 de maio de 2024

Homenagem à memória de Elisabeth Germer

Data:

“Ao adentrar a sala de exposições e contemplar a bela realidade concretizada em conjunto com a Fundação de Cultura e Turismo de Timbó, uma mescla de sentimentos envolveu-me. Expresso minha profunda gratidão ao diretor-presidente da Fundação, Jorge Ferreira, ao prefeito Jorge Krüger e a todos os envolvidos que tornaram possível expor as preciosas fotografias, algumas das quais retratam a arte da nossa querida Beti. Testemunhar a beleza reunida, desde paisagens até retratos de pessoas e lugares encantadores de Timbó e do Vale, foi uma experiência emocionante, repleta de saudade”. As colocações são de Rubia Luiza Adam Girardi, nora de Elisabeth Germer (em memória), ao falar sobre a abertura da exposição de Fotografias “Heimat” em memória da artista.

Segundo Rubia, o diretor-presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Timbó, Jorge Ferreira, é o curador da exposição, que teve sua abertura na noite de 7 de abril, durante o evento em homenagem aos 200 anos da chegada dos povos de língua alemã ao Brasil. O evento contou com a realização de um concerto envolvendo diversos grupos culturais locais, como o Coral Leopoldo Kurtz da Sociedade Recreativa Cultural, a Orquestra de Câmara Municipal de Timbó, o Grupo Folclórico Os Cinquentões, o Volkstanzgruppe Blauer Berg e a Banda Municipal Professor João Müller.

- Publicidade -
Homenagem à memória de Elisabeth Germer
Homenagem à memória de Elisabeth Germer

A exposição, realizada junto ao Centro Integrado de Cultura (CIC), apresenta uma seleção de fotos que retratam paisagens, fauna, flora, arquitetura e cotidiano, oferecendo uma visão da Timbó que Beti tanto amava. As fotos foram doadas por sua nora, proporcionando material para futuras exposições. A exposição estará aberta para visitação até o dia 28 de abril, na Sala de Exposições do CIC, apresentando diversas fotografias que destacam a cultura, os costumes e as paisagens do Vale Europeu.

Rubia explica o significado da palavra alemã “heimat”: “É uma paisagem ou localidade real, imaginária ou construída, à qual uma pessoa associa uma sensação imediata de familiaridade”. Ela foi responsável por ceder as fotografias de Elisabeth à Fundação de Cultura e Turismo, escolhendo aquelas que capturam a essência do que a artista considerava importante, deixando valores significativos para todas as gerações.

Homenagem à memória de Elisabeth Germer
Homenagem à memória de Elisabeth Germer

Rubia expressa sua honra em poder compartilhar o belo trabalho fotográfico de Elisabeth, carinhosamente conhecida como Beti. “Ela foi uma figura proeminente na comunidade de Timbó, deixando um legado duradouro através de suas múltiplas facetas e contribuições. Nascida em 3 de março de 1940, na Mulde Central, ela dedicou sua vida a sua amada cidade natal e à promoção da arte, da cultura e da preservação ambiental. Sua formação acadêmica diversificada, incluindo uma pós-graduação em Educação Ambiental, seu papel como professora de Educação Artística e sua proficiência em língua alemã refletiram-se em sua atuação multifacetada na sociedade”.

Além de seu compromisso com a educação e a cultura, Elisabeth Germer demonstrou uma paixão pela fotografia, capturando a essência e a beleza de Timbó em suas obras. Como diretora do Departamento de Cultura durante a gestão do ex-prefeito Donigo Wolter, ela desempenhou um papel crucial na promoção das artes e da história local, deixando uma marca indelével na cultura de Timbó. Sua dedicação à arte fotográfica não só a tornou reconhecida localmente, mas também alcançou reconhecimento internacional, com suas obras arquivadas até mesmo na Espanha.

Homenagem à memória de Elisabeth Germer
Homenagem à memória de Elisabeth GermerHomenagem à memória de Elisabeth Germer

Elisabeth Germer foi uma das fundadoras da Associação dos Artistas Plásticos de Timbó, contribuindo para fortalecer a comunidade artística local e inspirando outros com seu trabalho e compromisso com a preservação da natureza. “Sua exposição “Heimat” é um testemunho do amor que ela nutria por sua cidade e pela natureza ao seu redor, buscando despertar uma compreensão mais profunda sobre a condição humana e a conexão com o meio ambiente. Embora tenha falecido em 22 de outubro de 2021, o legado de Elisabeth Germer continua vivo, inspirando aqueles que tiveram a sorte de serem tocados por sua arte, sabedoria e espírito apaixonado. Sua memória é um tesouro precioso, mantendo viva a chama do amor e do respeito pela beleza e pela diversidade que ela tanto valorizava”, frisa Rubia.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui