30 C
Timbó
quarta-feira, 24 de abril de 2024

FIC celebra 22 anos de fundação com eventos especiais

Data:

FIC celebra 22 anos de fundação com eventos especiais
CULTURA: A FIC foi responsável por importantes conquistas culturais no município, obtendo o maior …

Cleiton Baumann

TATIANA MILANI/JMV

INDAIAL – Um evento prestigiado por inúmeras pessoas da comunidade indaialense. Assim foi a noite de ontem, dia 12 de novembro, quando a Fundação Indaialense de Cultura – FIC realizou uma festa especial para comemorar seus 22 anos de fundação e atuação em Indaial. Além do concerto realizado pela Orquestra de Câmara de Indaial e o Coro Misto Indaiá, a programação destacou o trabalho de dois escritores locais, Eduardo de Lima e seu livro “Luminescências” e Adair José de Aguiar, com sua obra “O Pão e a Pedra”, em uma noite de autógrafos.
Também na noite de ontem, durante a programação de aniversário, a FIC prestou uma homenagem a todos aqueles que contribuíram com a história da Fundação ao longo de seus 22 anos, ou auxiliaram na propagação da cultural local. Foram entregues aos prefeitos municipais, vice-prefeitos, presidentes da Câmara de Vereadores de Indaial, presidentes e vices do Conselho Curador da FIC, aos integrantes do 1º Conselho Curador da FIC e também a todos os diretores da fundação,  um certificado de “Amigo da Cultura”.
O escritor Adair José de Aguiar, natural de Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, mas morador de Indaial há 25 anos, esteve autografando sua 30ª obra – uma mistura de poesia e crônica – intitulada “O Pão e a Pedra”. Aguiar é advogado aposentado e durante sua vida sempre escrevia suas observações em cadernos, o que garantiu a matéria-prima para todas as suas obras, já publicadas.
“Conto com o apoio de minha esposa, Helena, que decifra meus escritos antigos e os copila para o computador, e assim já publicamos 30 livros, todos bem variados e que envolvem poesias gaúchas, crônicas e comentários, discursos do passado, histórias da infância, poesias religiosas e estórias”, destaca. No livro “O Pão e a Pedra”, Adair mistura diferentes crônicas e poesias, que abordam assuntos bem ecléticos e variados. Aos 86 anos de idade, ele lança seu 30º livro, mas já trabalha em outra obra no ramo da poesia e prosa, que pretende lançar no próximo ano.
Já o escritor Eduardo de Lima fez o lançamento de seu primeiro livro “Luminescências”. Aos 34 anos de idade, Eduardo é natural de Chapecó, mas reside em Indaial há 24 anos, quando ainda jovem, iniciou seu hábito pela escrita, envolvendo letras de música e hoje se dedica a obras mais intensas. O livro “Luminescências”, segundo o autor, possui um aspecto romântico envolvendo poesias ecléticas que falam sobre vida, morte, amor, espiritualidade, entre outros.
“Meu maior objetivo com esta obra é estimular os leitores a uma reflexão sobre cada tema”, comenta. Lima já participou, inclusive, com suas poesias no livro “Lentes e Letras”, obra que une as fotos de Mário Holetz com os poemas feitos por escritores indaialenses. “Quero continuar meu trabalho como escritor, e para isso, já possuo material para novos livros, que pretendo publicar futuramente”, conclui.

Fundação fomenta atividades culturais no município

Criada em 12 de novembro de 1987, a Fundação Indaialense de Cultura Prefeito Victor Petters – FIC surgiu com o propósito de fomentar e desenvolver as atividades culturais no município de Indaial. Primeiramente, sua sede era constituída na antiga estação ferroviária, no Centro da cidade, mas após quatro anos, foi transferida para o Parque João Schulemberg, que fica na rua Dr. Blumenau, nº 5, sua atual sede na cidade.
Nestes anos de história, a FIC conquistou importantes méritos para a cultura indaialense, sendo mantenedora da Biblioteca Pública Municipal Cruz e Souza, do Arquivo Histórico Theobaldo Costa Jamundá e do Patrimônio Histórico Municipal, além de apoiar vários trabalhos culturais na cidade. “Em todos estes anos, nosso apoio está presente em várias manifestações artísticas, escritores, poetas, artistas plásticos, folcloristas, patinadores, grupos musicais, bandas e orquestras”, afirma a diretora executiva da FIC, Siegrid Wamser Ribeiro.
Além disso, ela reforça que a FIC mantém os trabalhos da Orquestra Municipal Werner Pabst, Orquestra de Câmara de Indaial, Coro Misto Indaiá, o Grupo de Viola Caipira, Grupo Folclórico Piaskowa (polonês), Grupo de Invernada Artística Raízes de Indaiá, entre outras”, acrescenta. Outra atividade importante da fundação são os cursos nas áreas de música, dança, patinação, artes visuais, folclore, teatro, artesanato e escolhinha de artes. “Nestas atividades culturais, temos o envolvimento e participação de aproximadamente 780 alunos”, completa Siegrid.
Inclusive, ela aproveita a oportunidade para lembrar que já estão abertas as rematrículas dos alunos da FIC até o próximo dia 20 de novembro, e as matrículas para os novos alunos acontecerão entre os dias 1º e 18 de dezembro, em horário comercial. O valor da inscrição é R$ 15,00 e a mensalidade custa R$ 17,00 para quem pagar até o dia 15 de cada mês.
“Queremos agradecer o apoio que a Fundação sempre recebeu das administrações municipais, entidades de classe, mídia regional e a própria comunidade em geral, fato que nos permite dar continuidade as ações e planejar, por exemplo, a programação natalina para este ano, que terá muitas atrações especiais”, destaca. Siegrid comenta que em 2009, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE divulgou o Índice de Gestão Municipal em Cultura, que teve como base o último Censo de 2005.
Entre os municípios com 20 mil e 50 mil habitantes, Indaial obteve a primeira colocação geral, e em Santa Catarina, apenas São Francisco do Sul (7ª colocação) e Timbó (8ª colocação) ficaram entre os dez melhores resultados. “Precisamos agora trabalhar muito para mantermos este índice nacional que mede todos os equipamentos culturais e ações efetuadas, além da gestão democrática da cultura nos municípios brasileiros”, reforça a diretora da FIC.
A Fundação atualmente é presidida por Wilson Jacob Schmitt, e tem entre seus projetos futuros a criação de um museu municipal e a descentralização das ações e o atendimento às comunidades nos bairros, cujo primeiro passo foi o projeto de “musicalização nos bairros” em que os professores da FIC vão às escolas para ministrar aulas de música no contraturno escolar. “Estamos seguindo com a restauração do Centro Cultural do Warnow, que a partir de 2010 voltará a atender a comunidade local com aulas de música, dança, teatro e folclore”, finaliza.

[email protected]

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui