15.9 C
Timbó
sexta-feira, 19 de julho de 2024

Vigilância Epidemiológica trabalha no controle da dengue

Data:

Vigilância Epidemiológica trabalha no controle da dengue
Cuidar para que não haja infestação do mosquito da dengue …

Thomas Erbacher

CLARICE DARONCO/JMV

INDAIAL – Cuidar para que não haja infestação do mosquito da dengue. Este é o principal objetivo da equipe de Vigilância Epidemiológica, vinculada a Secretaria de Saúde de Indaial. Um grupo formado por quatro pessoas trabalham diretamente com a colocação de armadilhas em empresas e residências, que são considerados locais mais propícios para incidir a proliferação do inseto. As armadilhas com água são colocadas em floriculturas, cemitérios, borracharias, empresas têxteis e de turismo. Em especial em locais que tem uma maior circulação de veículos e pessoas de outras cidades.

- Publicidade -

De acordo com o coordenador geral da Unidade Sanitária Dr. Heinz Schutz, Fernando Dias, as armadilhas são feitas em pneus de moto com água, locais propícios para o mosquito colocar o ovo. Dentro de 10 a 15 dias o ovo se torna larva, que é recolhida pela equipe para a verificação. As larvas coletadas na região suspeita são encaminhadas com a máxima urgência ao laboratório para a verificação final. Os profissionais fazem o recolhimento de amostras da águas das armadilhas à cada sete dias, além de cuidar dos locais que costumam ter água parada.

Há três meses a equipe encontrou dois focos de mosquito da dengue na mesma área, onde num período de um ano fará o tratamento do local e de uma área num raio de 300 metros com veneno, porque se sabe que o Aedes aegypti voa num raio de 300 metros. A dengue é uma doença infecciosa aguda de curta duração, de gravidade variável, causada por um arbovírus, do gênero Flavivírus (sorotipos: 1 2,3 e 4). No Brasil, circulam os tipos 1, 2 e 3. A dengue é transmitida principalmente pelo mosquito Aedes aegypti infectado, mas também pelo Aedes albopictus. Esses mosquitos picam durante o dia, ao contrário do mosquito comum (Culex), que pica durante a noite.

As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos. A dengue está se expandindo rapidamente, e a grande preocupação é que nos próximos anos a transmissão aumente por todas as áreas tropicais do mundo se medidas eficientes não forem tomadas para a contenção das epidemias. A transmissão se dá pela picada do mosquito Aedes aegypti que ficou infectado porque picou uma pessoa doente. Esse mosquito infectado, picando uma pessoa sadia, passa o vírus da dengue e esta pessoa fica doente. A doença só acomete a população humana.

Não há transmissão pelo contato direto de uma pessoa doente para uma pessoa sadia. Também não há transmissão pela água, por alimentos ou por quaisquer objetos. A dengue também não é transmitida de um mosquito para outro. Quem pica é a fêmea e o faz para sugar o sangue. Os mosquitos acasalam 1 ou 2 dias após tornarem-se adultos. A partir daí, as fêmeas passam a se alimentar de sangue, que fornece as proteínas necessárias para o desenvolvimento dos ovos. As fêmeas têm preferência pelo sangue humano. Elas atacam vorazmente. São ativas durante o dia, podendo picar várias pessoas diferentes, o que explica a rápida explosão das epidemias de dengue.

Como se combate a dengue:

O melhor método para se combater a dengue é evitando a procriação do mosquito Aedes aegypti, que é feita em ambientes úmidos em água parada, seja ela limpa ou suja. A fêmea do mosquito deposita os ovos na parede de recipientes (caixas d\’água, latas, pneus, cacos de vidro etc.) que contenham água mais ou menos limpa e esses ovos não morrem mesmo que o recipiente fique seco. Não adianta, portanto, apenas substituir a água, mesmo que isso seja feito com freqüência. Desses ovos surgem as larvas, que, depois de algum tempo vivendo na água, vão formar novos mosquitos adultos.

[email protected]

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui