21.1 C
Timbó
quarta-feira, 12 de junho de 2024

Projeto Cidade Verde realiza análise de peixes que encontram-se nos rios de Timbó

Data:

Projeto Cidade Verde realiza análise de peixes que encontram-se nos rios de Timbó
Trabalho em desenvolvimento por uma equipe de parceiros que aproxima a população
dos rios e refor …

Clarice Graupe Daronco/JMV

Foto: FOTO/PROJETO CIDADE VERDE

 


TIMBÓ – “O projeto Cidade Verde é um projeto criado pelo Freitag Laboratórios e visa aproximar a população dos rios e criar uma consciência de educação ambiental com o objetivo de preservar a natureza. Compreendemos que o ser humano e o meio ambiente são interdependentes, portanto, cuidar do meio ambiente afetará diretamente a qualidade de vida humana”. Com essas informações o gestor administrativo do Freitag Laboratórios, Alexandre R. Freitag Filho, relata sobre os passos do projeto que tem um grupo de profissionais que atuam como parceiros: Uniasselvi, Secretaria do Meio Ambiente e Conselho Municipal do Meio Ambiente (Condema) juntamente com o Freitag Laboratório.
Segundo Freitag, no mês de outubro serão coletados os peixes que encontram-se nos dois rios de Timbó (Benedito e Cedros) para serem realizadas as análises. “Estamos no aguardo apenas da liberação ambiental para a coleta”, adianta o gestor administrativo ao relatar que quando coleta-se a água do rio, realizasse a análise de uma amostra daquele momento apenas. “Já com os peixes, a ideia é tentar analisar se há contaminantes neles devido à exposição de metais pesados ou agrotóxicos que poderiam possivelmente ocorrer em outros horários onde não há monitoramento, como finais de semana e madrugada. Essa possível exposição acumulativa pode ser detectada em laboratório utilizando-se metodologias específicas para a Matriz Pescados”, explica Freitag.
De acordo com o profissional, possivelmente uma contaminação isolada pode não ser identificada em laboratório a partir dos peixes, pois dependendo da contaminação pode ficar apenas alojada em algum órgão ou tecido específico do peixe. “Mas se a contaminação for regular, esperamos conseguir identificar isso em laboratório com certa facilidade. E caso seja constatado algo neste sentido, seria uma preocupação para a população que ingere regularmente a água tratada a partir da captação do rio Benedito”, destaca Freitag ao comentar que a ingestão de metais pesados não são percebidos e não fazem mal a curto prazo. Não há sintomas. “O problema é que o organismo não elimina o metal pesado, portanto ele vai se acumulando no organismo por toda a vida. E essa presença de metal pesado é cancerígena, portanto, os danos vêm mais para frente e são danosos tanto para a população quanto onerosos para o tratamento, demandando muitos recursos públicos”, explica ele.
Freitag observa ainda que a captação de água para o consumo humano ocorre diariamente, portanto acredita-se que essa nova fase do projeto será bem interessante. “Após os resultados das análises dos peixes, a equipe interdisciplinar irá analisar os resultados das análises da água de setembro e dos peixes conjuntamente”, adianta ele.
O profissional relata ainda que no mês de setembro ocorreu no Sesc, em Blumenau, o 2º Workshop de Monitoramento Ambiental, com a participação do Ministério Público de Santa Catarina, Polícia Ambiental, Fatma e Cidasc, assim como empresários, estudantes, Uniasselvi e doutores e o Projeto Cidade Verde foi abordado como um Case para ser replicado em todo o Estado. “O projeto também foi oferecido para ser implantado em outras regiões do país”, comenta ele.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui