21.1 C
Timbó
quarta-feira, 12 de junho de 2024

André Moser avisa governador que Laércio não sobe em seu palanque

Data:

O prefeito de Indaial, André Moser (PL), decidiu comunicar o governador, Jorginho Melo (PL), durante encontro que acontece nesta terça-feira, 26, em evento em Gaspar, de que não estará no mesmo palanque que o ex-prefeito de Timbó e ex-deputado estadual, Laércio Schuster Junior (PL), pré-candidato do PL a prefeito de Indaial.

Moser e Laércio foram filiados ao PL com as bênçãos de Jorginho e do ex-presidente Jair Bolsonaro. Jorginho é presidente estadual do Partido e tem como meta eleger o maior número de prefeitos possíveis em Santa Catarina. Moser já antecipou sua decisão ao filho do governador, Bruno Melo.

- Publicidade -

A filiação

Logo após as eleições que o elegeram governador, Jorginho chamou, para conversar, o ainda deputado Laércio Schuster Junior, que na eleição em primeiro turno, havia apoiado o candidato de seu então Partido (União Brasil) Gean Loureiro, mas esteve com o candidato do PL no Segundo turno. Jorginho quis compensar laércio por sua postura no episódio de cassação do ex-governador Carlos Moisés e pelo apoio no Segundo turno.

Laércio perdeu a reeleição por não ter repetido a mesma votação da sua primeira eleição, em 2018, em seu reduto eleitoral (Timbó), onde governou a cidade por oito anos. Faltaram aproximadamente 1.200 votos para Laércio se reeleger, mas somente em Timbó, ele perdeu mais de 6.000 votos. Porém, em Indaial, Laércio repetiu a votação e decidiu adotar a cidade como novo domicílio. Foi então que surgiu a ideia dele ser candidato a prefeito, com o apoio do governador e do prefeito, André Moser.

O confronto

Nos primeiros meses de filiação no PL, Moser e Laércio tiveram uma convivência harmoniosa, mas, com o tempo, Laércio passou a dominar a cena e o grupo politico de Moser começou a desconfiar dos objetivos do aliado, que adotou posturas atípicas na política indaialense para se tornar conhecido. Uma delas, foi a confrontação com o PT, convocando uma manifestação na mesma data em que o Partido havia marcado um evento. Em tom de ameaça e confronto, Laércio convocou a militância para um ato nas ruas centrais. O evento teve baixa adesão.

O prefeito Moser acompanhou o ato, mas percebeu posteriormente que não fazia sentido a polarização e que seu governo tem obras e ações para mostrar, não sendo necessário confrontos com a oposição. A postura de Laércio contra o PT chamou atenção, pois ele teve convivência pacífica com o partido, especialmente em seus dois mandatos em Timbó, onde o PT foi vice por oito anos e comandou a pasta da Educação em todo o período.

Golpe político

Indaial está no mapa de potenciais municípios para eleger um filiado do PL, mas o choque entre os líderes é visto com preocupação pelas lideranças estaduais, tanto que o governador e presidente, Jorginho Melo, incumbiu o deputado estadual, Ivan Naats, Coordenador Regional do PL no Médio Vale do Itajaí, para arbitrar e tentar uma conciliação.

O estopim do rompimento entre Moser com Laércio, foi o “golpe politico” da filiação da ex-primeira Dama, Elaine Pickler, com a promessa de sua candidatura a vice na eventual chapa a ser liderada por Laércio. Moser tem relação cordial com Elaine, mas não foi avisado da filiação e diz que Laércio está iludindo ela com a falsa promessa de integrar a chapa majoritária, pois a ex-primeira Dama está impedida de concorrer nesta eleição, por ainda estar casada com Moser quando este assumiu o Segundo mandato. Atualmente, Moser e Elaide estão divorciados.

Além do episódio de filiação de sua ex-esposa, pesou na decisão do prefeito Moser o fato de Laércio ter rompido um acordo pré-eleitoral, que tinha como compromisso a coligação com o PSD, tendo como pré-candidato a vice-prefeito, o atual presidente da Câmara de Vereadores, Jonas Lima. Além do PSD, está na mira do prefeito a aliança com o PODEMOS.

Sem palanque

Moser descartou as iniciativas de conciliação propostas pelo Coordenador Regional do PL, deputado Ivan Naats, que classificou como uma “receita para a desgraça” a divisão interna do PL e o não alinhamento do prefeito ao candidato do Partido. Moser tem motivos de sobra para assumir sua liderança política e dar as cartas sobre a sucessão. Ele foi eleito e reeleito com amplas votações e tem uma ampla aliança, que pode apresentar um nome com militância e tradição na política indaialense para a sucessão. O governador e presidente estadual do PL, Jorginho Melo, terá de escolher, entre apoiar o timboense Laércio, ou acompanhar um nome indicado pelo prefeito duas vezes eleito de Indaial, André Moser.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui