15.2 C
Timbó
domingo, 21 de julho de 2024

Novo Pacto Federativo urgente

Data:

Novo Pacto Federativo urgente

Foto: Foto: Betto Barreto

“A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), lançou e vem atualizando o que convencionou chamar de “Voz Única”; manifesto que compila em um documento as principais reivindicações e prioridades regionais e estaduais, que foi e será entregue às autoridades e políticos que assumiram ou venham a assumir funções de comando e influência em todas as esferas de Governo”. As informações são do empresário e diretor da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Jeter Reinert Sobrinho.

Em entrevista o diretor da Facisc destaca que “dentre essas propostas, encontra-se o pedido por um novo “Pacto Federativo”, ou seja, uma nova visão do Governo Federal em relação à distribuição dos recursos federais arrecadados pelos estados e enviados à Brasília”.

- Publicidade -

De acordo com Jeter “historicamente Santa Catarina tem se constituído em um grande arrecadador de impostos, recebendo uma contrapartida incompatível com suas necessidades, principalmente no quesito infraestrutura rodoviária”.


O diretor observa que “para se ter uma ideia desta distorção, verifiquemos o ocorrido em 2021 quando o estado arrecadou 71,6 bilhões de reais em impostos federais e recebeu em contrapartida cerca de 16% deste valor, se constituindo no quatro pior retorno em termos percentuais do país”.

Jeter explica que “dados da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), apontam que o Estado necessita de 18,4 bilhões de investimentos em sua infraestrutura de transporte entre 2023 e 2026 para alcançar um padrão considerado adequado para a segurança e eficiência do sistema. Deste valor, 5,43 bilhões deveriam vir do Governo Federal, ou seja, cerca de 1,5 bilhão por ano. Não é nada se compararmos esse valor aos mais de 72 bilhões que enviamos à Brasília todos os anos”.

O diretor ressalta que “estaremos inaugurando em 1º de fevereiro novas e renovadas bancadas catarinenses na Câmara e Senado e deverão ser eles os porta-vozes das necessidades de Santa Catarina, principalmente no que diz respeito à infraestrutura. Temos a pior malha rodoviária do país, incompatível com nossas necessidades e até merecimento por tudo aquilo que produzimos com a consequente arrecadação de impostos”.

Para finalizar Jeter afirma que “precisamos todos: políticos, entidades representativas, clubes de serviço, lideranças e o povo em geral exigir de Brasília, primeiro uma nova visão para com o Estado e depois, de forma estrutural, um novo pacto federativo, com uma distribuição mais justa do bolo tributário nacional”.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui