17 C
Timbó
domingo, 21 de abril de 2024

Artesanato em madeira é destaque no Vale Europeu

Data:

Artesanato em madeira é destaque no Vale Europeu
Empresa beneditense tem 33 anos de existência e produz uma média de 30 mil peças por mês …

CLARICE GRAUPE DARONCO/JMV

Foto: Divulgação

BENEDITO NOVO – O artesanato sempre foi um tipo de terapia que muitas pessoas adaptaram para seu dia a dia e alguns transformaram em fonte de renda. Uma das novidades desta arte é o artesanato em madeira, que nos últimos anos virou uma febre já que encontra-se vários modelos de caixinhas para venda em lojas especializadas.

 

- Publicidade -

São poucas as donas de casa que não tem uma peça em madeira. Uma porta joia, um porta chá, gaveteiro, entre outras peças que chamam a atenção pela beleza e praticidade. Segundo especialistas, o artesanato em madeira muitas vezes custa muito caro, pois ele é feito por artesões especializados nesse tipo de arte, e ainda em alguns casos não chega nem pagar o valor real da mão de obra. Peças artesanais em madeira podem ser encontradas em vários lugares, como em cidades turísticas, centros comerciais e outros o importante é você negociar até chegar ao preço pretendido, mas mesmo que seja caro ainda vale você ter uma peça em madeira trabalhada.
No Vale Europeu, que envolve as cidades de Apiúna, Ascurra, Benedito Novo, Doutor Pedrinho, Indaial, Pomerode, Rio dos Cedros, Rodeio e Timbó, diversos são os turistas que buscam conhecer as belezas destas cidades. Além da beleza natural, jardins floridos, arquitetura em estilo enxaimel, música, dança e gastronomia, os municípios também oferecem outros atrativos artesanais, como artigos em vime, porcelana, cristais e confecções e o tradicional artesanato em madeira.
Quem passa por Benedito Novo não sai sem conhecer a empresa de Artesanato Beyer. Segundo a filha do proprietário, Lourivald Bayer, Marley a empresa fará 33 anos em 2012. Marley conta que seu pai começou produzindo canetas de coqueiro, e aos poucos foi modificando os produtos para a linha de decoração, também de coqueiro. Eram peças pequenas, como porta caneta, calendário, termômetro, entre outros. Com o tempo, a diversidade de itens ficou cada vez maior. Fazendo também com que se mudasse o material utilizado, aumentando a produção, maquinário e funcionários. “Atualmente a empresa, não faz apenas artesanatos, mas sim artefatos de madeira, voltados para todos os públicos. Desde pequenas caixas decorativas até mini móveis”, relata Marley ao observar que hoje, a empresa é administrada, principalmente, pela esposa, Selli e a filha mais nova de Lourivald, Luciane, em razão de o proprietário ter assumido o cargo de presidente da Ceesam. “O auxílio dele continua, mas em menor escala. Nas feiras e eventos, equipes especializadas se revezam”, conta ela.
Questionada sobre o que é produzido, Marley informa que são confeccionados artefatos em madeira, basicamente, com produtos em mdf. “Temos vários detalhes em laser. A pintura laqueada é predominante. Os acabamentos são muito elogiados. Geralmente, os clientes comparam a qualidade dos produtos e acabam comprando conosco”, observa ela ao salientar que quem realiza a pesquisa de materiais e novos produtos e sua mãe, que também é a responsável em fazer os desenhos dos novos modelos.
A empresa comercializa artesanato em madeira para decoração e utilidade doméstica, bem como: Gaveteiros e caixas para maquiagem e joias; cômodas, aparadores, produtos para decoração de festas e utilidades em geral.
Os materiais produzidos pela empresa beneditense são comercializados no Brasil todo, através de lojistas e turistas. “Expomos os produtos em diversas feiras, com grande fluxo de público”, observa Marley ao contar que hoje o trabalho, que há 33 anos era feito por um único homem, foi transformado em uma empresa familiar que conta com o empenho de 25 funcionários, com capacidade produtiva de até 30 mil peças/mês. “A "família de funcionários da Beyer", é praticamente uma grande família, pois é composta por vários casais que trabalham na empresa. Além de primas, sogra e nora, irmãs, mãe e filha, tias e sobrinha. Uma estrutura bem familiar mesmo”, afirma Marley.
Um dos principais focos de venda dos produtos são as feiras que acontecem em cidades como São Paulo e Rio Grande do Sul. “Esse ano, por exemplo, a empresa participará de sete feiras, sendo quatro em São Paulo e três no Rio Grande do Sul”, adianta à jovem.
 

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui