20.8 C
Timbó
sexta-feira, 24 de maio de 2024

A terapia da música no Hospital Oase

Data:

A música tem desempenhado um papel significativo como uma forma de terapia complementar no contexto médico por muitos anos. Nos corredores dos hospitais, seus acordes têm o poder de suavizar dores, dissipar ansiedades e iluminar os ânimos, tanto para pacientes quanto para os colaboradores.

Ao envolver-se com melodias, as pessoas encontram uma fuga temporária de suas preocupações e temores, permitindo-lhes focar em algo positivo. Além disso, a música tem o poder de transformar o ambiente hospitalar, tornando-o mais acolhedor e agradável.

- Publicidade -

Nesse contexto, o Hospital e Maternidade Oase promoveu, por meio do Núcleo de Eventos, integrante do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), a Semana das Profissões. Este evento, ocorrido na véspera do Dia do Trabalhador, 1º de maio, contemplou dois momentos de música no refeitório do Hospital. O objetivo da Semana das Profissões foi lembrar e valorizar todas as ocupações que compõem a complexa estrutura do Hospital e Maternidade Oase.

Como parte da programação, na manhã do dia 30 de abril, os colaboradores do Hospital foram brindados com uma apresentação musical do talentoso professor da Escola de Música – Musicarte de Timbó, Gabriel Borges. Gabriel, nascido em Indaial, Santa Catarina, revelou sua paixão pela música desde os primeiros anos de vida. Influenciado por seu pai, Anselmo, ele começou a tocar aos 5 anos e rapidamente se destacou na cena musical regional.

A carreira de Gabriel decolou em 2006, com apresentações em bares, e em pouco tempo ele já estava dividindo palco com renomados artistas do cenário sertanejo nacional. Reconhecido por seus arranjos cuidadosos e medleys que celebram os sucessos do sertanejo, Gabriel também é o criador do “Noite de Clássicos”, um dos principais projetos sertanejos do sul do Brasil. Comprometido com sua comunidade, Gabriel participa ativamente de eventos beneficentes e culturais.

No Hospital, Gabriel, munido de seu violão, encantou a todos com suas melodias conhecidas, até mesmo encorajando alguns a se aventurarem a cantar. Foi um momento de leveza e alegria, permitindo que todos desfrutassem de boa música e testemunhassem o talento do professor, reconhecido até mesmo pela geração mais jovem.

Questionado sobre sua participação no projeto junto ao Hospital e Maternidade Oase, Borges expressou sua gratidão, afirmando que “tocar no Hospital foi uma experiência maravilhosa. Senti-me imensamente feliz em poder trazer um pouco de alegria ao dia desses profissionais. Deus utiliza as pessoas do Hospital Oase para realizar Sua obra, salvando vidas e cuidando da população, e tenho certeza de que Ele também me utilizou para levar felicidade e paz a esses profissionais tão responsáveis. Senti-me honrado em fazer parte disso! ”

Na tarde do mesmo dia, os colaboradores do Hospital tiveram o prazer de apreciar a performance musical de Lucas Gabriel Geisler, um talentoso aluno da Musicarte. Lucas, com apenas 12 anos de idade, filho de Tarcisio e Carla Geisler, é morador de Timbó e estuda na sétima série na Escola Municipal Maurício Germer. Há oito anos, ele começou a estudar gaita na Musicarte e, recentemente, também começou a ter aulas de teclado. Há um ano, iniciou sua jornada com o violão. Dedicado à música, Lucas ensaia diariamente por uma hora, revelando sua paixão tanto pela música quanto pelo futebol.

O jovem, que nutre uma paixão especial pela música sertaneja raiz, apresentou-se habilmente tocando gaita e violão. Ele compartilhou que sempre é uma grande satisfação participar desses eventos, pois contribuem significativamente para seu desenvolvimento musical e pessoal.

A terapia da música no Hospital Oase
A terapia da música no Hospital Oase

A Musicarte, por meio de sua diretora, Noika Roeder Zipf, tem sido uma valiosa parceira do Hospital e Maternidade Oase, proporcionando oportunidades para apresentações de professores e alunos dentro do Projeto de Musicalização do Hospital: EnCantar, desde outubro de 2002. Em suas palavras, Noika ressalta que “a experiência de fazer parte de um projeto voluntário é extremamente gratificante, e quando isso é feito através da música, torna-se ainda mais especial”.

Noika expressa sua felicidade em poder oferecer a professores e alunos da escola a oportunidade de participar de ações que levam música tanto para colaboradores quanto para pacientes. Ela destaca que a música desempenha um papel fundamental como mediadora no processo de socialização, sendo capaz de evocar emoções e comportamentos, além de facilitar a interação entre as pessoas.

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui